NORMAS  PARA CONFECÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

                                  APRESENTAÇÃO GRÁFICA

 

                                                                        Prof. Msc. Joel Irineu Lohn (org.)

                                       

 

1. Tipo de papel:

                   Recomenda-se a utilização de papel branco, no formato A-4 (210 mm X 297 mm ).

 

 

2. Digitação:

       Recomenda-se as seguintes características:

a)      utilização de um só lado do papel (Anverso da folha);

b)      espaço entre linhas  1,5;

c)      espaço entre linhas simples para: notas de rodapé, citações longas, indicações de fontes de tabelas, referências bibliográficas e nota explicativa na página de rosto;

d)      alinhamento justificado para todo o texto;

e)      alinhamento à esquerda para referências bibliográficas e notas;

f)       Fonte Times New Roman, tamanho 12, para todo o texto. Sugere-se a utilização de tamanho 10,  para citações longas e notas de rodapé.

g)      Os  títulos e sub-títulos dentro de um capítulo ou unidade, recebem alinhamento à esquerda e são digitados em negrito (Times NewRoman, tamanho 12).

h)      Os títulos de capítulos são centralizados e são digitados em negrito, tamanho 14.

 

 

3.  Paginação:

            Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de  rosto, devem ser contadas seqüencialmente, mas não numeradas. Os números devem ser colocados sem traço, ponto ou parênteses. A paginação dos anexos  e das referências bibliográficas deve ser contínua. As páginas que não puderem  ser numeradas (mapas, documentos e outros) devem ser contadas.

 A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a dois centímetros da borda superior, ficando o último algarismo a dois centímetros da borda direita da folha. No caso de haver mais de um volume, deve ser mantida uma única seqüência de numeração das folhas, do primeiro ao último volume. Havendo apêndice e anexo, as suas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal.

 

 

4. Indicativos de seção e numeração progressiva:

                   O indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, por um espaço de caractere. Nos títulos, sem indicativo numérico, como na seqüência: sumário, resumo, referências e outros devem ser centralizados, em negrito e em tamanho maior de letra.

 

 

5.  Margens e espaçamento:

                        De modo a permitir uma boa visualização do texto, assim como reprodução e encadernação corretas, devem ser observadas as recomendações a seguir:
             a)  3,0 cm na parte superior;

            b)  2,0 cm na inferior ;
           
c) 3,0 cm no lado esquerdo;
            d) 2,0 cm no lado direito ;

            e) parágrafo:   2,0 cm (recuo da primeira linha a partir da margem esquerda).

f)     citação longa:  4,0 cm (recuo a partir da margem esquerda. Usar espaço simples                    entre linhas).

Obs: Não esquecer que o espaço entrelinhas em uma citação longa (mais de três linhas)

         deve ter espaço entrelinhas simples.

 

6.  Formato do texto:

Cada capítulo se inicia em uma página nova, sendo que o espaçamento entre cabeçalho e texto deve ser obedecido da introdução à conclusão do trabalho (3 cm), com exceção da capa, folha de rosto, dedicatória e agradecimentos.

Subtítulos dos capítulos deverão estar em destaque no interior da página, observando-se sempre a mesma distância.

 

 

7. Normas técnicas da ABNT para consultar:

·      NBR 6023/ AGO 2000 – Referências bibliográficas

·      NBR 10520 – Apresentação de citações em documentos

·      NBR 6028 – Resumos

·      NBR 6024 – Numeração progressiva  das secções de um documento

·      NBR 6027 – Sumário

·      NBR 12256 – Apresentação de originais

·      NBR 6022 – Apresentação de artigos em publicações e periódicos

·      NBR 10719 – Apresentação de relatório técnico científicos

 

 

8. Estrutura do trabalho científico:

                 O trabalho científico, para efeitos desta norma, está de acordo com as seguintes definições:

 

8.1 dissertação: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do autor da dissertação. É feito sob a coordenação de um orientador, visando a obtenção do título de mestre.

 

8.2 tese: Documenta que representa o resultado de u trabalho experimental ou exposição de u estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa a obtenção do título de doutor, ou similar.

 

8.3 trabalhos acadêmicos – similares (trabalhos de conclusão de curso – TCC, trabalho de graduação interdisciplinar – TGI e outros): Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador.

 

 

 

9. Estrutura: 

                A estrutura de tese, dissertação ou de um trabalho acadêmico, compreende: elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais. A disposição dos elementos está de acordo com a tabela a seguir:

 

Estrutura

Elemento

 

Capa (obrigatório)

 

Folha de rosto (obrigatório)

 

Errata (opcional)

 

Folha de aprovação (obrigatório)

 

Dedicatória (opcional)

 

Agradecimentos (opcional)

Pré-textuais

Epígrafe (opcional)

 

Resumo na língua vernácula (obrigatório)

 

Resumo em língua estrangeira (obrigatório)

 

Sumário (obrigatório)

 

Lista de ilustrações (opcional)

 

Lista de abreviaturas e siglas (opcional)

 

Lista de símbolos (opcional)

 

Introdução

Textuais

Desenvolvimento

 

Conclusão

 

Referências (obrigatório)

Pós-textuais

Apêndice (opcional)

 

Anexo (opcional)

 

Glossário (opcional)

 

 

 

10.  Elementos do trabalho gráfico:

 

10.1 Elementos pré-textuais:

10.1.1 Capa

                        Elemento obrigatório, para proteção externa do trabalho e sobre o qual se imprimem as informações indispensáveis à sua identificação, na seguinte ordem: nome do autor, título, subtítulo (se houver), número de volumes (se houver mais de um, deve constar em cada capa a especificação do respectivo volume), local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado, ano de depósito (da entrega).

 

10.1.2 Folha de rosto

                        Elemento obrigatório que contém as seguintes informações: nome do autor, título principal do trabalho, subtítulo (se houver), número de volumes (se houver mais de um), natureza (tese, dissertação, TCC e outros) e objetivo do trabalho ( aprovação em disciplina, grau pretendido e outros), nome da instituição de ensino e área de concentração.

 

10.1.3 Verso da folha de rosto

                   Deve conter  a ficha catolográfica, conforme o Código de Catalogação Anglo-Americano – CCAA2

 

10.1.4 Errata

                   Elemento opcional, que apresenta as correções de possíveis erros encontrados após a impressão do trabalho. Pode ser em papel avulso ou encartado.

 

10.1.5 Folha de aprovação

                   Elemento obrigatório que contém autor, título por extenso e subtítulo, se houver, local e data de aprovação, nome, assinatura e instituição dos membros da banca examinadora.

 

10.1.6 Agradecimentos

                   Elemento opcional, dirigido àqueles que contribuíram de maneira relevante a elaboração do trabalho.

 

10.1.7 Epígrafe

                   Elemento opcional, onde o autor apresenta uma citação, seguida de indicação da autoria, relacionada com a matéria no corpo do trabalho.

 

10.1.8 Resumo na língua vernácula

                   Elemento  obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos pontos relevantes de  um texto. Deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho. Não deve ultrapassar 500 palavras. . Deve ser seguido de palavras representativas  do conteúdo do trabalho (palavras-chave ou descritores).

 

 10.1.9 Resumo em língua estrangeira

                   Elemento  obrigatório, que consiste em uma versão do resumo em língua estrangeira de divulgação internacional. Deve ser seguido de palavras representativas  do conteúdo do trabalho (palavras-chave ou descritores).

 

10.1.10 Lista de ilustrações

                   Elementos opcionais, que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto. Cada item acompanhado do respectivo número de página.

 

 

10.1.11 Lista de abreviaturas e siglas

                   Elemento opcional, que consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas,  seguidas das palavras ou expressões correspondentes.

 

10.1.12 Lista de símbolos

                   Elemento opcional, que deve ser apresentado de acordo com a ordem do texto, com o devido significado.

 

10.2 Elementos textuais

                   Parte do trabalho em que é exposto o estudo realizado (matéria).

 

10.2.1 Introdução

                   Parte inicial do texto, onde devem constar a delimitação do assunto tratado, objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho.

 

10.2.2 Desenvolvimento

                   Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções, que variam em função da abordagem e do método.

 

10.2.3 Conclusão

                   Parte final do texto, na qual se apresentam as conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses.

 

10.3 Elementos pós-textuais

                   Apresenta elementos que complementam o trabalho.

 

10.3.1 Referências

                   Elemento  obrigatório, que consiste em um conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual.

 

 

10.3.2 Apêndice

                   Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho.

 

10.3.3 Anexo

                   Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração.

 

10.3.4 Glossário

                   Elemento opcional, que consiste em uma lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições.

 

 


 

11. Modelos:

                                                               .

11.1 Modelo de capa

 

 

 

 

11.2 Modelo de folha de rosto

 

                                                                         

 

                                                                    

 
 

11.3 Modelo de sumário                           

 

                                  

 

 

 

 

12  REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA E BIBLIOGRAFIA:

12.1  Referência Bibliográfica:

Representação dos documentos efetivamente citados no trabalho.

12.2  Bibliografia:

Lista de obras sugeridas e/ou lidas mas não citadas no trabalho.

 

 

13  ELEMENTOS ESSENCIAIS E ELEMENTOS COMPLEMENTARES SEPARADOS POR TIPO DE PUBLICAÇÃO

13.1.  Monografia  no todo (livros, dissertações, teses etc...)

13.1.1 Dados essenciais:

. Autor;

. Título e subtítulo;

. Edição (número);

. Imprenta (local: editora e data).

13.1.2 Dados complementares:

. Descrição física (número de páginas ou volumes), ilustração, dimensão;

. Série ou coleção;

. Notas especiais;

. ISBN.

13.2  Partes de monografias (trabalho apresentado em congressos, capítulo de livro, etc...)

13.2.1 Dados essenciais:

. Autor da parte referenciada;

. Título e subtítulo da parte referenciada, seguidos da expressão "In:" ;

. Referência da publicação no todo (com os dados essenciais);

. Localização da parte referenciada (páginas inicial e final).

13.2.2 Dados complementares:

.  Descrição física;

.  Série;

.  Notas especiais;

.  ISBN.

13.3  Publicações Periódicas ( revistas, boletins etc...) coleção.

13.3.1 Dados essenciais:

. Título do periódico, revista, boletim;

. Local de publicação, editora, data de inicio da coleção e data de encerramento da publicação, se  houver.

13.3.2  Dados complementares:

. Periodicidade;

. Notas especiais (mudanças de título ou incorporações de outros títulos, indicação de índices);

. ISSN.

 

13.3.3 Fascículos, suplementos, números especiais com título próprio

13.3.3.1  Dados essenciais:

. Título da publicação;

. Título do fascículo, suplemento, número especial;

.  Local de publicação, editora;

. Indicação do volume, número, mes e ano e total de páginas.

13.3.3.2 Dados complementares:

. Nota indicativa do tipo do fascículo, quando houver (p. ex.: ed. especial);

. Notas especiais.

13.3.4 Partes de publicações periódicas (Artigos)

13.3.4.1 Dados essenciais:

. Autor do artigo;

. Título do artigo, subtítulo (se houver);

.Título do periódico, revista ou boletim;

. Título do fascículo, suplemento, número especial (quando houver);

. Local de publicação;

. Indicação do volume, número, mês e ano e páginas inicial e final;

. Período e ano de publicação.

13.3.4.2 Dados complementares:

. Nota indicativa do tipo de fascículo quando houver (p. ex.: ed. especial);

. Notas especiais.

13.4  Artigos em jornais

13.4.1 Dados essenciais:

. Autor do artigo;

. Título do artigo, subtítulo (se houver);

. Título do jornal;

. Local de publicação;

. Data com dia. mês e ano;

. Nome do caderno ou suplemento, quando houver;

. Página ou páginas do artigo referenciado.

*Nota: Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo precede a data.

13.4.2  Dados complementares

. Seção;

. Caderno ou suplemento.

 

 

 

 

14 ORDENAÇÃO DA BIBLIOGRAFIA:

14.1  As referências bibliográficas podem ter  uma ordenação alfabética, cronológica e sistemática (por assunto). Entretanto neste manual, sugerimos a adoção da ordenação alfabética ascendente.

14.2  Autor repetido: Quando se referencia várias obras do mesmo autor, substitui-se o nome do autor das referências subseqüentes por um traço equivalente a seis espaços.

14.3  Localização: As referências bibliográficas podem vir:

.  Em listas após o texto, antecedendo os anexos;

.  No rodapé;

.  No fim do capítulo;

.  Antecedendo resumos, resenhas e recensões.

 

 

 

 

15.  ASPECTOS GRÁFICOS:

15.1  Espaçamento: as referências devem ser digitadas, usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las.

15.2  Margem: As referências são alinhadas somente à margem esquerda.

15.3   Pontuação:

. Usa-se ponto após o nome do autor/autores, após o título, edição e no final da referência;

.  Os dois pontos são usados antes do subtítulo, antes da editora e depois do termo In:;

.  A virgula é usada após o sobrenome dos autores, após a editora, entre o volume e o número, páginas .a revista e após o título da revista;

.  O Ponto e vírgula seguidos de espaço são usados para separar os autores;

.  O hífen é utilizado entre páginas (ex: 10-15) e, entre datas de fascículos seqüenciais (ex: 1998-1999);

.  A barra transversal é usada entre números e datas de fascículos não seqüenciais (ex: 7/9, 1979/1981);

.  Os colchetes são usados para indicar os elementos de referência,  que não aparecem na obra referenciada, porém são conhecidos (ex: [1991]);

.  O parêntese é usado para indicar série, grau (nas monografias de conclusão de curso e especialização, teses e dissertações) e para o título que caracteriza a função e/ou responsabilidade, de forma abreviada. (Coord., Org., Comp.).

    Ex: BOSI, Alfredo (Org.) 

. As Reticências são usadas para indicar supressão de títulos.

    Ex: Anais...

15.4  Maiúsculas: usam-se maiúsculas ou caixa alta para:

.  Sobrenome do autor;

.  Primeira palavra do título quando esta inicia a referência (ex.: O MARUJO);

.  Entidades coletivas (na entrada direta);

.  Nomes geográficos (quando anteceder um órgão governamental da administração: Ex: BRASIL. Ministério da Educação);

.  Títulos de eventos (congressos, seminários, etc.).

15.5   Grifo: usa-se grifo, itálico ou negrito para:

.  Título das obras que não iniciam a referência;

.  Título dos periódicos;

.  Nomes científicos, conforme norma própria.

15.6  Abreviaturas devem ser conforme a NBR10522

 

 

16  AUTORIA:

 

16.1 Um autor de livro:

 

CHASSOT, A . A CIÊNCIA ATRAVÉS DOS TEMPOS. São Paulo: Moderna, 1995. 127p.

 

16.2           Até três autores de livros:

 

LOHN, J.I. e ZUNINO,A.V. Ciência, Tecnologia e Sociedade: na direção de uma escola de integração a partir do ensino de ciências. Florianópolis: CED/CME/UFSC, 1990. 97p.

 

16.3           Mais de três autores de livros:

 

     BASTOS, L. et al. Manual  para  a elaboração de projetos e relatórios de pesquisa, teses e dissertações. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. 192 p.

 

 

16.4          Organizador de livro:

 

     BRANDÃO, C. R. (org.) Pesquisa participante. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1988. 211 p.

 

16.5           Autor entidade:

 

   ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: Apresentação de citações

   em documentos: procedimento. Rio de Janeiro, 1998.

 

 

16.6           Capítulo de livro:

 

    SANTOS. F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In:___História do Amapá, 1º grau. 2 ed. Macapá: Valcam, 1994. cap. 3, p. 15-24.

 

 

16.7           Artigo de revista:

 

   LOHN, JOEL IRINEU. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E  OS  TEMAS TRANSVERSAIS.

     PHILOS (Revista Brasileira de Filosofia), Florianópolis, Ano 6, Nº 11, p. 45-49, jun.1999.

 

 

16.8           Matéria de revista não assinada:

 

   UM ESPIÃO NO FBI. Veja, São Paulo, ano 34, n. 8, p. 42-43,  28 set. 2001.

 

 

16.9           Matéria de jornal  assinada:

 

NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 jun., 1998. Folha   Turismo, Caderno 8, p.13.

 

 

16.10      Matéria de jornal não assinada:

 

 MULHERES têm que seguir código rígido. O Globo, Rio de Janeiro, 1 caderno, p. 40, 31 jan. 1993.

 

CANADÁ bloqueia carne brasileira. Diário Catarinense. Florianópolis. 05 mar. 2001. p.8. Disponível em:< http://www.diario.com.br.> Acesso em: 05 mar. 2001.

 

 

Obs: 1) Escreve-se em maiúscula até a primeira palavra significativa do título.

           2) A referência de mês é reduzida a apenas três letras e um ponto. O mês de janeiro   ficaria sendo jan., o de fevereiro fev. etc., com exceção do mês de maio que se escreve com todas as letras (maio) e sem o ponto. (veja o exemplo em artigo não assinado).

 

    

16.11 Trabalho em congresso:

 

     SABROZA, P. C. Globalização e saúde: impacto nos perfis epidemiológicos das populações. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA, 4. 1998. Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: ABRASCO, 1998. Mesa redonda. Disponível em: http://www. Abrasco.com.br/epino98/. Acesso em:17 jan. 1999.

 

 

16.12 Documento jurídico:      

 

16.12.1 Decretos-Leis, Portarias etc.:

 

BRASIL. Decreto 93.935, de 15 de janeiro de 1987. Promulga a convenção sobre conservação dos recursos vivos marinhos antárticos. Diário Oficial (da República Federativa do Brasil), Brasília, v. 125, n. 9, p. 793-799, 16 de jan. 1987. Seção 1, pt.

 

16.12.2 Pareceres, Resoluções etc:

 

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO. Parecer n. 1.406 de 5 out. 1979. Consulta sobre o plano de aperfeiçoamento médico a cargo do Hospital dos Servidores de São Paulo.    Relator: Antônio Paes de Carvalho. Documenta, n. 227, p. 217-220, out. 1979.

 

 

16.13  Autor corporativo:

 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Programa de Pós-Graduação em
Educação / PPGE-UFES. Avaliação educacional: necessidades e tendências. Vitória,
PPGE/UFES, 1984. 143 p.

 

 

16.14 Dissertação / Tese:

 

     BELLO, José Luiz de Paiva. Lauro de Oliveira Lima: um educador brasileiro. Vitória, 1995.
210 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação -
PPGE, Universidade Federal do Espírito Santo, 1995.

 

 

16.15 Citação de parte de uma obra:

 

16.15.1  O autor do capítulo citado é também autor da obra:

        

 LIMA, Lauro de Oliveira, Ativação dos processos didáticos na escola secundária. Rio de
    Janeiro: Forense-Universitária, 1976. cap. 12, p. 213-234 In: A escola secundária
    moderna:
organização, métodos e processos.

 

16.15.2 O autor do capítulo citado não é o autor da obra:

 

     HORTA, José Silvério Baía. Planejamento educacional. In: MENDES, Dumerval
Trigueiro (org.). Filosofia da Educação Brasileira. Rio de Janeiro: Civilização
 Brasileira, 1991. p. 195-239.

 

 

 

16.16 Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico:

 

              Neste caso, os elementos essenciais são: autor, denominação ou título e subtítulo (se houver) do serviço ou produto.  Indicações de responsabilidade, endereço eletrônico e data de acesso. No caso de arquivos eletrônicos, acrescentar a respectiva extensão à denominação atribuída ao mesmo.

 

16.16.1 Banco de dados:

  

    BIRDS from Amapá: banco de dados. Disponível em<http://www.bdt.org/bdt/avifauna/aves>. Acesso em 28 nov. 1998.

 

16.16.2 Artigos, textos e trabalhos diversos, com autoria:

  

   BELLO, José Luiz de Paiva. Metodologia Científica: Estrutura de Apresentação do Trabalho.

   In: Pedagogia  On  Line. Disponível em: <http://home.iis.com.br/~jbello/bestrutu.htm>.

   Acesso em: 28 out. 1999.

 

16.16.3 Artigos, textos e trabalhos diversos, sem autoria:

 

  MÉTODOS na Pesquisa Científica. In: Pedagogia  On  Line. Disponível em:

  <http://www.home.iis.com.br>. Acesso em: 28 out. 1999.

 

16.16.4 Arquivo em disquete:

 

  UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas para apresentação

  de trabalhos. Curitiba, 7 mar. 1998. disquetes, 3 ½  pol. Word for Windows 7.0.

 

16.16.5 Programa (Software):

 

  MICROSOFT Project for Windows 95, version 4.1: project planning software. [S.I.]:

  Microsoft Corporation, 1995. Conjunto de programas. 1 CD-ROM.

 

16.17.6  Base de dados

  UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca de Ciência e Tecnologia. Mapas.

  Curitiba, 1997. Base de Dados em Microlsis, versão 3.7.

 

 

 

17 Referências bibliográficas:

 

ANDRADE, M. M. deINTRODUÇÃO À METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO. São Paulo: Atlas, 1997.

 

ARRUDA, Suzana Margareth ALVES, M. Bernadete Martins.Normas de referenciação. In: Biblioteca Universitária. Disponível em:< http://www.bu.ufsc.br/framerefer.html>.  Acesso em 02 maio 2001.

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e

documentação – Referências – Elaboração. Rio de Janeiro, ago. 2000. 22p.

 

LEONEL, V. (coord.) NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Tubarão: Unisul, fev.

2001.

 

VERA, Armando Asti. Metodologia da pesquisa científica. Porto Alegre: Globo, 1997.